OVELHINHA NEGRA

A ovelhinha negra anda á margem do caminho.
Se alimenta nos pastos vizinhos,
Se aproxima de águas turbulentas,
Se diverte com o perigo.
Não suporta ser conduzida pela  vara  nem  corrigida pelo cajado.
A ovelhinha negra se incomoda com tanto cuidado. Mas também não percebe que o lobo está logo ali ao lado.

A ovelhinha negra quer ser diferente.
Ela não entende  a necessidade de um rebanho,
Quer  romper os limites,
Sair da sombra do aprisco,
Ela  não se incomoda com o lobo devorador.
Quer se aventurar nos campos, longe do pastor.

O que ela não percebe é que toda vigilância é por puro AMOR.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s