PAPOS DE CRIANÇA

Acontecia em BH um congresso de músicos. 

O palestrante afirmava , para o auditório, ser a voz das crianças muito versátil quanto ao grave e agudo, podendo atingir notas bem distintas.

Meus três filhos  foram convidados a demonstrar tal afirmação.

Ele chamou primeiro a Suzana com 10 anos de idade, deu o tom e todos se encantaram com sua afinação.

Chamou Miguel de oito anos , que  também agradou a platéia e ao maestro que teve sua afirmação reafirmada diante de tão grande público

.Chamou o menor.

O maestro dava o tom agudo e Isaque, com 5 anos de idade, demorava alguns segundos e entrava num tom mais grave.

E assim se repetiu por três vezes, o maestro dava um tom agudo e ele entrava mais grave.

Um pouco desapontado o mestro explicou:-Essa criança já é mais difícil.Ela precisa ser trabalhada.

Acabado o congresso, fomos embora.

A caminho de casa, Isaque quebra o silêncio:-Mãe, você viu aquele homem?

-Viu o quê? Isaque? – perguntei surpresa.

-Aquele homem… querendo que eu fizesse voz de mulherzinha!!!

Uma manhã ensolarada é um bom motivo para ir ao parque.

Vovó Beth leva a netinha.-Suzana, vamos comer milho verde?- pergunta a vovó.

– Não!

 Surpresa a vovó indaga:- Você não gosta de milho verde?

E Suzana responde de pronto:- Não vovó… eu só como milho amarelinho…

Mãe, deixa…
– Não!!!
-Ah! A vovó é que é boazinha e deixa…
(que mãe não ouviu isso um dia?)
E então eu retruquei:
-Mãe realmente é muito má….
E ele com pouca idade, talvez uns quatro, responde :
– É isso mesmo.Mãe é bruxa, pai é monstro e os filhos são heróis!
Outro dia então, eu o lembrei:
– Ah! Você não me chamou de bruxa?
-É mamãe… você é bruxa , mas eu sou seu morceguinho!

Perguntei como toda mãe preocupada:
– O que foi ? Você está chorando?
E o caçulinha respondeu:
– Não, mãe! só está saindo pinguinho…

– Filho os enfeites de seu aniversário de 4 anos vão ser de qual personagem?
– Do Patolino.
Patolino? Pensei eu… que personagem mais sem graça!
Fui às compras, rodei a cidade toda, nada de Patolino, nem um enfeitizinho se quer.
Sem jeito, comprei tudo do Pato Donald.
Quando cheguei ele ficou feliz, afinal era mesmo o Pato Donald que ele queria, mas confundiu ao me pedir..

Estávamos na sala de espera do pediatra.
Miguel rompeu o silêncio.
-Mãe, tá vendo aqueles cavalos?
Ele se referia ao quadro na parede.
– Hã?- respondi.
– Eu sou todos eles!
Outro dia…
-Sabe aquele cachorro que tem a boca que cabe todo mundo dentro? Sou eu!

Estavam brincando juntos quando o irmão disse:
– eu sou homem com H!
A brava pequena respondeu, colocando a mão na cintura:
– E eu sou “rimã” com I

Mamãe e papai vão votar e  os filhinhos querem
ir junto e apertar o confirma. 
Tudo combinado.
A filhinha aperta o confirma para o papai e o filhinho aperta o confirma para a mamãe.
O que não estava combinado é que o filhinho entregaria o voto a todos os presentes na seção , pois quando viu o candidato aparecer na tela  apontou para a urna e gritou 
com espanto:
– Olha o fulanoooo!!!!
Não teve quem não gargalhasse.

Era mês das crianças e a Igreja Batista do Barro Preto  gostaria de incentivar os pais a levarem seus filhos na EBD-escola bíblica dominical.
Participamos do programa numa manhã de domingo
diante da igreja, fazendo uma entrevista com nossos filhos.
-Suzana, o que você acha da escola dominical?
– Eu acho muito legal.
– Porque você acha legal?
– Eu aprendo muitas coisas!
– O que você está estudando?
– Muitas histórias e coisas legais…
– E você Miguel? O que você mais gosta na escola dominical?
E sem titubear ele responde:
– Do lanche!

Esses eram os xingamentos do Miguel:
– Seu grossão!
– Seu absurdo!

Palavras que soavam feio aos ouvidos, mas que não
tinham sentido pra ele.
Então… um belo dia ele estava com os irmãozinhos assistindo “A dama e o vagabundo”, quando irado com a titia, chamou-a de vagabunda.
Foi um caos!
Ela ficou muito brava, queria que eu o castigasse com rigor e se negava a entender que ele simplesmente repetia palavras que eram “feias” a seus ouvidos.
Como se não bastasse, na igreja ele ouviu a palavra “eunuco” e foi o suficiente para que começasse a xingar os coleguinhas  da escola.
É… mãe sofre!

Era um fim de semana  especial, uma viagem de pai e filho.
Interior de Minas, hospedagem caseira, comidinha mineira, contato com terra, bicho e mato.
Não deu outra! O menino voltou cheio de carrapato.
Após um bom banho, mamãe começa a catar os carrapatos do corpinho.
E o menino reclama indignado:
– Mãe, você tá arrancando minhas pintinhas!!!

Diante da igreja papai e o caçulinha de 5 anos vão dar um testemunho da última vigem missionária realizada no fim de semana.

A igreja fica surpresa com a afirmação da criança:- Ganhamos três mundos para Jesus!

E o papai pergunta:- Como assim?

E sem se intimidar com a plateia ele explica:- Uma alma vale mais que o mundo inteiro, se tivemos três pessoas aceitando Jesus , então ganhamos três mundos para Jesus!

Puma era o nome dela. Uma pastora mestiça de cor preta.

Deu à luz a sete filhotinhos!

Escolher um deles era um desafio, pois o objetivo era criá-lo para guarda de  estabelecimento comercial.

Então na conversa em família, meu marido disse:- Estou numa dúvida! Não sei como escolher o mais esperto entre os sete filhotes.

Então surge uma sábia voz com a vasta experiência de  8 anos de vida:- Muito fácil, pai! Você coloca todos os filhotinhos numa parede, e lá na frente a comida, o que chegar primeiro é o mais esperto! Aí você fica com ele.

Chegou o dia dos pais receberem o relatório semestral,o que não era novidade para mim, mãe de três filhos.

Na capa um desenho  feito pelo caçulinha e dentro relatos da professora sobre o desenvolvimento  e comportamento do aluno.

Estava ansiosa pois qual mãe não gosta de ouvir elogios sobre seus pimpolhos?Folheando as páginas me surpreendi com tanta peraltice narrada. Entre algumas: bolhinhas de espuma saindo pelo ralo do banheiro !!!

Sentei-me com o caçulinha de 5 anos e comecei a ler em voz alta para ele.

Finalmente perguntei: – Como você acha que a mamãe está se sentindo?

E ele:- Triste!- Será que o próximo relatório vai melhorar?

E ele: – Vai.

– Por que você fez tanta bagunça? Foi influência de amigos ou o pecadinho do seu coração?

E ele:- O pecadinho do meu coração!

– Então vamos orar e pedir perdão para o Papai do Céu?

E ele colocando a mãozinha no rostinho: -Não! estou com vergonha dEle!

Era noite e a família voltava da igreja.
Três crianças no cinto de segurança, no banco de trás do carro.
Papai e mamãe no banco da frente.
Muita conversa, risadas.
De repente o filho do meio, talvez com uns 6 anos grita:
– Olha!!! Esse lugar é muito legal!!!!
Olhamos todos.
Eu e meu marido ficamos surpresos e sem entender.
Uma placa luminosa de neon chamava a atenção no trevo de Sabará (MG):
“Motel Cavalo Branco”
 E a criança completa:
– Lá dentro é cheio de cavalos!!!
Eu e meu marido: -Ufa…

Uma mãe , três filhinhos e duas balas.
Como resolver essa equação?
Meus filhos de 3, 5 e 7 anos ganharam de alguém duas balas.
Os olhinhos brilharam.
A menina de 7 disse:
 – Mãe pode dar a minha para meu irmãozinho.
E eu aliviada e surpresa disse:
– Filha, você é muito boa. Papai do céu vai colocar mais uma pedrinha na sua coroa.
Ao ouvir isso, o irmãozinho do meio retrucou:
– Ah é mãe? Então pode dar a minha  bala também!!!

Que criança não gosta de atender o telefone?

Colocamos um aparelho telefônico antigo e colorido em nossa residência.

E o telefonista de plantão, com uns 4 anos de idade, atende  de pronto ao  ouví-lo tocar

.E de longe acompanho a conversa.

De repente, ouço:- Sim…é alaranjado!

Então pergunto:- Quem era?E ele responde:- Era engano, pois ele queria saber se o telefone é novo e eu disse que sim, é alaranjado!
Mais uma vez o telefonista surpreende.

O vovô  liga num dia de semana à tarde e pergunta:- Seu pai está?

 e ele responde:- Não, papai está trabalhando…

– Sua mãe está?

– Não, mamãe está trabalhando…e o senhor vô? Não trabalha não???

Mamãe tinha o costume de acordar o caçulinha de dois anos todas as manhãs de forma carinhosa, falando baixinho ao seu ouvido: – Acorda pititinho!

Então, num uma bela manhã de sábado, mamãe dormindo profundamente de bruços em sua cama, recebe uma visitinha pé ante pé.

O caçulinha se deita em suas costas e sussurra em seu ouvido:- Acorda “pintintinha”….

Ela sempre muito séria, talvez com uns três ou quatro anos .

Eu, mãe, ouvia das pessoas:- Você tem que incentivá-la a ser mais criança!

O pai, sempre muito brincalhão, depois de um dia de serviço chega em casa e quer brincar com a filhinha.

Então, entra na sala engatinhando … e ela com as mãos na cintura o repreende:- O que é isso pai? Que bobeira! Levanta daí

!Acabou a graça, acabou a brincadeira!!!

Era tardinha e ele corria sujo pelo jardim da casa da vovó.

Não havia quem o fizesse entrar para o banho.

E após inúmeras tentativas frustradas… apelei!

Vendo um homem sujo e maltrapilho andando do outro lado da rua disse a ele:- Entra agora! Se não aquele doido vai pegar você!!! E como criança surpreende, não foi diferente a reação dele diante da minha ameaça infundada, ele simplesmente gritou:

– Ei amigo! Fala pra ela que você não é doido nada, você é meu amigo . Não é?

E o homem sujo, como ele ,riu e deu um jóia com o polegar.

O levado do meu priminho virou-se  para mim e disse:- Viu? Eu ele é meu amigo!!!

Sempre aos domingos a escola bíblica dominical(EBD) é nossa prioridade.

Meu marido e eu sempre fomos alunos ou professores da EBD.

Tínhamos o hábito de colocar nossas bíblias em baixo do braço rumo à Igreja

.Nossa filhinha, com uns dois ou três anos observava continuamente esse hábito e só nos demos conta disso numa bela manhã de domingo, quando ao sairmos para mais um compromisso , eis que ela surge prontinha com uma revista Exame em baixo do braço…

Cinema em família.Papai, mamãe e três filhinhos assistindo Tainá.

Era consenso que a indiazinha lembrava nossa vizinha Lorenna, o que tornava o filme ainda mais engraçadinho.

Em determinado momento do filme, Tainá ao ver uma grande cobra, diz que o animal é a origem de tudo.

Como família cristã, que sempre dedicou a ensinar os filhos sobre a criação como obra de Deus, ficamos Incomodados com tal afirmação e antes que tivéssemos alguma reação para orientar nossos filhos, o caçulinha de 4 anos interrompeu o silêncio  embaraçoso:

– Como índio é bobo! Claro que foi Deus  quem criou todas as coisas!!!Ufa!

Ele tinha uns quatro anos de idade  e estava assistindo TV, quando passou um comercial qualquer com uma modelo empurrando um carrinho de supermercado. 

Então ele exclamou de forma espontânea:

– Nossa! Que beleza de mamãe! Eu queria uma mamãe beleza assim!

De manhã cedinho ela acordou e veio me contar seu sonho.

Tinha apenas 3 anos de idade e sempre se mostrou muito romântica e feminina.

 -Mãe, sonhei que eu estava toda de branco e meu noivo de jeans e gravata!

Que mãe não se viu em apuros quando fora de casa, na rua ou em local público o pequeno diz:- Mãe, quero fazer xixi!

Assim foi. Olhei para os lados do parque e não vi sanitário. Logo pensei em uma saída e disse:- Faz aqui na árvore.

E ele mais do que depressa mira a copa da grande árvore.

E eu corrigi apontando para o chão:- Não, querido. Aqui no cantinho!

Ele tinha apenas quatro aninhos e estava curtindo uma de suas primeiras aulas de natação.
Eu, mãe orgulhosa e atenta, estava literalmente assistindo  na arquibancada.
Os pequenos alunos foram com a professora buscar  seus equipamentos e ele ficou.
Chamou minha atenção com um tchau e gritou: ei mãe!! e sem se intimidar com a profundidade de 2 metros pulou.
A largura da piscina olímpica nos separava e eu prontamente mergulhei de roupa e tudo para salvá-lo.
Passado o susto, já em casa, eu disse a ele:
– Conta para a vovó o que você fez hoje!
E ele calmamente:
– Eu??? Eu não fiz nada… quem fez foi você!!!

Papai conversava com a pequena Suzana.

Talvez tivesse 4 anos completos…Ela sempre muito séria ouve seu pai dizendo:

– Filha? sabe qual o nome sua mãe gostaria de colocar em você? Ingrid!

Ela parece não gostar do nome. Fecha a cara, pensa por um instante e responde:

– Se a minha filha colocar esse nome na filha dela… dou-lhe uma bengalada!!!


A velha tia era esperada para o chá da tarde.

A criança brincava enquanto os adultos arrumavam os preparativos… bolos, pães, chá, torradas…A criança brincava e ouvia os comentários:- A tia está tão envelhecida… cheia de pé de galinha…

Tudo pronto,  guloseimas  sobre a longa toalha de mesa.
Alguém avisou : – a tia chegou!

A criança brincava enquanto a cumprimentavam e entre risadas e causos se acomodaram na mesa da sala de jantar.

De repente a criança resolveu brincar em baixo da mesa.

Reclamaram: – Fulana!!! Sai daí!!! Sai de debaixo da mesa!!!A criança sai e fala indignada:  –Vocês falaram que a tia tinha pé de galinha , mas eu vi! Ela tem pé de gente mesmo!!!

Na oficina mecânica mãe e filha estavam aguardando os reparos no automóvel. A pequenina com quase uns três anos de idade vê um macaco mecânico e exclama: – Mãe, olha um patinete gigante!!!

O mecânico interrompe a exclamação:- Não querida, não é um patinete gigante, é um macaco. A menina olha desconfiada para o mecânico, para o macaco, olha para a mãe e responde certa: – Não é um macaco. É um patinete gigante!!

Muitas brincadeiras eram comuns entre o papai e seu filhinho de 4 anos, mas vez por outra a criança ficava brava. 
Uma certa ocasião, quando o menino estava irritado, papai ofereceu algum benefício para continuar importunando-o e recebeu a seguinte advertência:
– “Um homem não se vende-se!!!”

Era manhã e estávamos estacionados em frente à Igreja São Sebastião, área central de Belo Horizonte .

A menininha de uns 4 aninhos era inquieta, observadora e de repente ao ver a imagem de São Sebastião no alto da igreja, pergunta:

– Quem é aquele homem só de cueca lá em cima?!!

Crianças nos surpreendem com sua espontaneidade e sinceridade, muitas vezes aprendemos com elas.
Sempre foi um hábito orarmos com nossos filhos e os ensinamos agradecer o alimento nas refeições. Nosso caçulinha sempre iniciava sua oração de forma peculiar:
– Papai do céu, obrigado porque o Senhor existe!

Certa ocasião, perguntei a duas crianças o que gostariam de pedir ao Papai do Céu.
A primeira respondeu de pronto: Pirulito!!
A segunda: um irmãozinho para chamar Dudu.

Uma linda menina  nasceu de uma mãe branca e um pai negro. Seu desejo era ter um irmãozinho. Quando ficou sabendo que sua mãe estava grávida exclamou: – é o irmão marronzinho que pedi a Deus!!!

Certa ocasião duas crianças brigavam na hora do almoço.
A vovó sem paciência, colocou os bifes na mesa e disse a uma de suas netinhas:
– Tatiana, agradeça o “papá” que Deus nos deu e pare de brigar com sua prima!
E ela de pronto: – Papai do céu, abençoe esse porco que nós vamos comer agora!

Como lidar com o luto?
Como explicar a uma criança que a pessoa que ela tanto ama não volta mais?
Simples! Dizemos que viram estrelinhas! Não é assim?
Então… fulaninha ao falar da vovó explica:
– Ela virou estrelinha…
E estendendo o dedinho aponta para o céu mostrando as constelações e diz:
– Olha! Tudo parente meu!!!

A experiência de conhecer o mar é uma delícia!

Descobrir que a água é salgada é muito legal!!

Melhor ainda é ser surpreendido com a pergunta do pequeno ao ver as algas marinhas:

– Mãe, e isso aí ? É orégano?

Era uma tarde chuvosa e estavam na sala de estar, uma mãe  e suas duas filhinhas.  Ela tentando ser o mais justa possível na divisão das guloseimas, diz a menina maio:.- Divida com sua irmãzinha…

E diante da resistência da menina ameaça:- Papai do céu vai ficar bravo!!!

E  nesse instante troveja bem forte estremecendo a janela.

A menina sem se intimidar põe a mão na cintura, olha para a janela e exclama indignada:-  Calma papai do céu, já estou dando!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s