DEUS: Refúgio, fortaleza e socorro presente na angústia.

Eu não tinha idéia do que me esperava, o câncer sempre foi um atestado de morte na minha concepção. Nunca tive proximidade com alguém que tivesse enfrentado esse diagnóstico para que eu tivesse algum conhecimento do tratamento e suas possibilidades. Diante do pedido de biópsia que minha mastologista solicitou eu orei. A minha oração foi uma rendição, uma entrega:

“Eu não vou pedir para não ser câncer, mas para o Senhor estar comigo em tudo o que eu tiver que enfrentar. Pois seu nome é Emanuel (Deus conosco)! Quero viver o propósito que o Senhor tiver em minha vida”                                  

Era uma manhã linda e ensolarada, dia 24 de setembro de 2018, data em que recebi o resultado do exame que atestou: carcinoma ductal invasivo grau II.

Hoje, após exatamente 2 anos do diagnóstico, posso afirmar que Deus, mais uma vez, ouviu a minha oração!

Foram tempos de muito sofrimento: três cirurgias, 12 quimioterapias com picadas de grossas agulhas nas veias das mãos, 18 sessões de radioterapia, muitos exames médicos, enjôos, insônia, perda do paladar, perda de memória, dores articulares, muito inchaço, alopécia, perda de todos os pelos do corpo, muito desconforto nos olhos por falta dos cílios, ganho de peso, cansaço, fraqueza, regressão no condicionamento físico, proibição de tomar sol…

Mas também foram tempos de muito aprendizado e exercício espiritual:

“E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século.” Mateus 28.20 .   Essa promessa inspirou minha oração, pois não sabia o que me esperava mas cria que o Senhor seria minha companhia e sustento, como foi e como tem sido durante esses meus 35 anos de vida cristã. Seu amor a ponto de dar sua vida na cruz por mim, foi e  é a certeza de que com Ele estou segura.

“Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos pensamentos em Cristo Jesus.” Filipenses 4.6,7     Uma paz gostosa e estranhamente inexplicável diante do diagnóstico e dos prognósticos, sempre esteve presente em meu coração. Coração que por fé adentrava constantemente a presença de Deus para queixas, súplicas, agradecimento, e profundo relacionamento!

As misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim; Novas são cada manhã; grande é a tua fidelidade.”  Lamentações 3.22-23   Passei a enxergar cada manhã como  uma nova oportunidade de vida, como um presente motivado pela  misericórdia de Deus. Ele escolheu me amar,  mesmo sendo eu pecadora  e minha estrutura não passando de pó! Atentei para a responsabilidade de viver cada dia para sua glória.

“e sede agradecidos.” Colossenses 3.15 b     A gratidão a Deus nos pequenos detalhes se agigantou em minha vida passei a me atentar para os tantos livramentos que Ele me concedeu,  me poupando de sofrimentos maiores e me dando condições de passar pelos momentos de provação. O fato de não estar sozinha na luta também foi motivo de gratidão. Ainda que alguns amigos e parentes tenham se afastado, usufruí da proximidade do Senhor.

“Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de entranhas de misericórdia” Coloss. 3.12A    O adoecimento, a dependência, a fragilidade, a humanidade não passou despercebida quando olhei meu  próximo com o olhar de Cristo.  Aprendi que revestir-nos de entranhas de misericórdia é tomarmos parte nos sofrimentos e fraquezas do nosso semelhante, como se fossem em nossa própria pele. O sofrimento nos aproxima de Deus e consequentemente do outro.

 “Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo, a tua vara e o teu cajado me consolam.” Salmo 23.4   A morte é uma certeza e um tabu. Nunca desejei encará-la como uma realidade próxima, mas o sofrimento escancarou minha efemeridade e me fez pensar na certeza de vida eterna como um refrigério para a alma. O relacionamento de dependência com o Supremo Pastor me deu a percepção de seu cuidado constante e bem pertinho:  correção (vara) e livramentos (cajado).

“Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós eterno peso de glória, acima de toda comparação,” II Coríntios 4.17      A  glória do Senhor reduz a pó todo e qualquer sofrimento terreno , pois nada nesse mundo é mais precioso e mais desejável , para mim , que a presença de Deus.  “Porque vale mais um dia nos teus átrios do que em outra parte mil”. Salmo 84.10

“Que nos consola em toda a nossa tribulação, para que também possamos consolar os que estiverem em alguma tribulação, com a consolação com que nós mesmos somos consolados por Deus.” II Coríntios 1.4  O Senhor foi meu consolo e paz na tribulação, e hoje me vejo responsável e capaz de compartilhar esse consolo e essa paz com outros. Aprendi que viver o que prego me concede autoridade e pregar o que vivo é minha missão!

“Porque, se vivemos, para o Senhor vivemos; se morremos, para o Senhor morremos. Quer, pois, vivamos ou morramos, somos do Senhor.” Romanos 14.8       A minha certeza é essa: minha vida, meu fôlego, meus dias estão nas mãos do Autor da Vida. Ele deu, ele tirará!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s