PORTAS FECHADAS

Ah! Como era bom o tempo da inocência…
O tempo da ingenuidade…
Eu me sentia Sua filha única!
Não haviam portas fechadas.
Meus passos eram ligeiros,
Meu coração  corajoso e
cheio de esperanças,
Desejoso de viver um grande amor.
Não havia silêncio,
o Senhor me ouvia e me respondia
de pronto!
O que eu não sabia…
é que o grande amor eu já conhecia!
Foi preciso dores, silêncio , gritos
Portas fechadas, costas dadas,
Para colocar  meus pés no chão,
E nas Tuas mãos a inteireza do meu ser.

Pai, Senhor, Provedor!
Minha riqueza e meu grande Amor,
Braço da minha remissão, 
Porta da minha salvação ,
Só a Ti entrego meu coração!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s