É PROIBIDO PESCAR


Vivemos dias em que pastores, homens supostamente vocacionados por Deus para empenharem suas vidas na proclamação de Sua Palavra , têm se tornado grandes marqueteiros.
Seduzindo pessoas supersticiosas, misticas, carentes, crentes, desesperadas, desesperançosas, deprimidas, débeis, enfermas, ignorantes da Palavra de Deus; com promessas de prosperidade, milagres, soluções dos mais variados problemas possíveis.
Vendendo uma fé barata e imediatista e lançando mão de hipnose, sugestionismo, mentiras, teatros, distorções e pescaria bíblica garantem sucesso em suas campanhas em rádio e tv.
Usando de textos sem contexto, pescam as mais variadas histórias bíblicas ou palavras bíblicas para desenvolverem um forte market para seus pretextos.
É lamentável ver na mídia “grandes e poderosos homens de DEUS” que acabam com a credibilidade do puro e genuíno evangelho usando o poder da mídia para entrar em milhões de lares e ouvidos apresentando um showzinho barato sem autoridade bíblica nem moral para tal.
É o caso de um famoso pastor que é separado de sua esposa, e responde juntamente com ela e outros pastores da mesma denominação a crime por apropriação indébita, lavagem de dinheiro, estelionato, falsidade ideológica e sonegação fiscal por haver desviado dinheiro público destinado a recuperação de drogados . Ele curiosamente pescou a palavra Manassés da bíblia, que quer dizer Deus me fez esquecer, e então ele sopra sete vezes sobre alguém que é usuário de drogas para esse se esqueça de que era viciado ou ainda sobre um casal prestes a se separar para que esqueçam as mágoas e traições e reatem o casamento.
Alguém com um pouquinho de bom senso poderia questionar porquê esse pastor não reata seu casamento? Não faz um trabalho idôneo de recuperação de drogados com o dinheiro que o município lhe destinou?
Ou ainda porque ele não sopra sete vezes sobre os promotores do ministério público que o acusam para que esses se esqueçam das queixas crime ?